GX2 Tecnologia

O cenário do futuro do mercado de trabalho

5min. de leitura

As evoluções tecnológicas têm consequência direta na forma em que enxergamos o mercado de trabalho. Hoje, com o aumento da expectativa de vida e consequentemente o envelhecimento da população, aliado às incerteza mediante ao ritmo acelerado das inovações, várias profissões deixaram de existir e novas funções foram criadas.

O cenário do futuro do mercado de trabalho traz flexibilidade por meio da adoção do home office e o trabalho remoto, mas exige competências e adaptações dos profissionais que nele se inserem.

A automação é uma tendência do futuro do trabalho, tarefas repetitivas serão substituídas por inteligência artificial que é capaz de gerar diagnósticos, analisar dados, porém, pelo menos ainda, não consegue fazer algo crucial: a interação humana.

A inteligência emocional é cada vez mais valiosa, uma vez que é preciso interpretar e lidar com as informações coletadas. A empatia e a criatividade serão características cada vez mais valorizadas no mercado de trabalho do futuro, uma vez que muitos comportamentos humanos são insubstituíveis.

Segundo a pesquisa realizada pela Buffer, que avaliou o status do trabalho remoto para 2020, o maior benefício relatado pela pesquisa com o home office foi horários flexíveis (32%) e a maior dificuldade dos colaboradores está relacionada à comunicação, colaboração e solidão.

A liberdade de escolha ainda é vista como principal ponto positivo do trabalho remoto, seguido pelo equilíbrio entre vida profissional e pessoal.

No entanto, um estudo do banco britânico Aldermore descobriu que 39% das pessoas que trabalham em casa se sentiam solitárias. Esse sentimento pode trazer consequências negativas para a saúde, como desenvolvimento de depressão.

A Inteligência emocional, que é a capacidade do profissional de identificar, compreender e gerenciar as próprias emoções, é sem dúvida a principal ferramenta do profissional do futuro.

Contudo, a revolução tecnológica nos trará um mercado de trabalho mais flexível, marcado pelo home office e empresas inovadoras que nada mais fazem do que adequar-se à demanda social.

Com isso, concluímos que nos próximos anos o mercado de trabalho será marcado por inteligência artificial, profissionais que se envolvam com criatividade e relacionamento, além de mais equilíbrio e flexibilidade entre vida pessoal e profissional.